Lisboa › SÁBADO 04 OUTUBRO › 22h00 CINEMA SÃO JORGE – Sala 1
Porto › SEXTA 17 OUTUBRO › 18h30 CASA DAS ARTES

Realizador: Philippe Lacôte
Actores :  Isaach de Bankolé, Abdoul Karim Konaté, Rasmané Ouédraogo
Produção: Banshee Films
Género : Thriler, Drama
Origem : Costa do Marfim
Duração : 1 h 40 min
Estreia em França : 05/11/2014
Argumento : Philippe Lacôte / Gino Ventriglia / Michel Fessle
Montagem : Barbara Bossuet
Fotografia : Daniel Mille
Som : Alioune Mbow, Michel Tsagli

Realizador
Philippe Lacôte nasceu em Abidjan. Começou como projeccionista e depois assistente de programação no Le Cratère, onde deu início a um ciclo de cinema fantástico que se tornou o ponto de encontro dos jovens cinéfilos de Toulouse. Somnambule é a sua primeira curta.metragem. Em 1995, nova curta, Le Passeur, seleccionada para o Festival Internacional de Rotterdam.  Em 2001, co-realiza com Delphine Jacquet a curta-metragem Affaire Libinski, seguindo-se o documentário Cairo Hours, em colaboração com Waël Farouk et Hossam Abdallah, um retrato do Cairo e dos seus escritores. Em 2002 volta à Costa do Marfim para realizar Chroniques de guerre en Côte d’Ivoire. Em 2004 encenou com Delphine Jaquet e Denis Lavant Le Journal d’Andréï Tarkovski. Em 2013 realizou um dos filmes da colecção African Metropolis: To Repel Ghost. Em 2014 realizou a sua primeira longa-metragem Run, Primeiro Prémio do Jerusalem Film Lab, rodada na Costa do Mefim e no Burkina Faso, que evoca a actualidade e a crise  que abalaram o seu país. O filme foi seleccioonado para o 67º Festival de Cannes, na secção Un Certain Regard e obteve 7 nomeações.

Sinopse
Run foge… Acaba de matar o primeiro-ministro do seu país. Para isso, usou o rosto e as roupas de um louco, que vagueava pela cidade. A sua vida passa-lhe em flashes; a sua infância com o mestre Tourou quando sonhava transformar-se em fazedor de chuva, as suas aventuras com Gladys e o seu passado de miliciano como jovem patriota, no coração do conflito politico/militar na Costa do Marfim…. Todas as suas vidas, Run nunca as escolheu. Limitou-se a deixar-se levar, fugindo da vida anterior. Eis o motivo pelo qual se chama Run.

Críticas
“Run é o primeiro filme da Costa do Marfim desde há 29 anos que aparece numa secção do Festival de Cannes”
(RFI, Les voix du monde).
“Em Philippe Lacôte, nota-se a necessidade urgente e sincera de fazer cinema (…)  ele será provavelmente um grande cineasta daqueles que criam a sua própria linguagem e traz para a sua causa um público à espera de pontos de vista fortes. “
(Emannuelle Spadacenta , CinémaTeaser)

Festivais
Festival  de Cannes 2014 – Secção Un Certain Regard.
Festival International du Film de Münich – 2014