Lisboa › SEXTA 03 OUTUBRO › 19h00 CINEMA SÃO JORGE – Sala 1
Lisboa › SEGUNDA 06 OUTUBRO › 22h00 CINEMA SÃO JORGE – Sala 1
Porto › QUARTA 15 OUTUBRO › 21h30 CASA DAS ARTES

Realizador : Nicolas Bary
Actores : Raphaël Personnaz, Bérénice Bejo, Guillaume De Tonquédec, Emir Kusturica, Thierry Neuvic, Mélanie Bernier
Produção : Chapter 2, Pathé Films
Género: comédia
Duração : 1 h 32 min
Estreia em França : 16/10/2013
Argumento : Nicolas Bary / Jérôme Fansten
A partir da obra de : Daniel Pennac
Fotografia : Patrick Duroux
Som : Arnaud Julien, Nicolas Tran Trong, Nicolas Leroy, Charles Autrand, Michel Schillings
Montagem : Véronique Lange
Origem: França
Duração: 1 h 32 min
Distribuidor português : NOS

Realizador
Nicolas Bary autoproduziu (sobretudo graças ao seu trabalho como publicitário) as suas duas primeiras curtas-metragens profissionais: Fragile em 2003 e Before…em 2004. Esta última serve de projecto-piloto para a sua primeira longa-metragem Les Enfants de Timpelbach. Em 2005 a terceira curta-metragem Judas. Trabalha ainda na adaptação da banda desenhada Soda. Em 2008 co-funda uma sociedade de produção: Les Partenaires. Au bonheur des ogres é a sua segunda longa-metragem, adaptação do romance homónimo de Daniel Pennac.

Sinopse
Na tribo dos Malaussène, há algo de curioso, de estranho, de anormal diriam certas pessoas. Mas vendo bem de perto, é a felicidade que reina nesta família alegremente desorganizada cuja mãe, de paixão em paixão, se dispersou na escolha dos pais das suas crianças. Para Benjamim Malaussène, irmão mais velho, responsável por esta família, a vida é tudo menos monótona. E quando os incidentes surgem por onde ele passa, chamando a si os olhares suspeitos da polícia e dos seus colegas de trabalho, torna-se rapidamente urgente para ele saber porquê, como e sobretudo quem é que pode estar contra ele e desta forma? Benjamin Malussène vai ter de fazer o seu próprio inquérito ao lado de uma jornalista determinada, conhecida como a “Tia Júlia” para encontrar as respostas que procura.

Críticas
“O resultado (…) testemunha um incontestável saber-fazer e permite aos actores divertirem-se com as personagens que nele desempenham”( Olivier De Bruyn de Positif)

“Um templo construído em honra de Pennac, que finalmente conhece sua consagração no cinema com uma adaptação que convoca toda a magia e fantasia do autor com os meios de uma produção francesa opulenta (…)”
.Frédéric Mignard (aVoir-aLire.com).

Festivais
Rendez-vous du cinéma français à Paris – 2014
Festival International du Film de Rome – 2013
Festival du Film Français d’Helvétie – Bienne – 2013