Lisboa › SÁBADO 04 OUTUBRO › 19h00 CINEMATECA PORTUGUESA – Sala Dr. Félix Ribeiro

Realizador : Alain Resnais
Actores : Mathieu Amalric, Pierre Arditi, Sabine Azéma, Jean-Noël Brouté, Denis Podalydès
Produção : F Comme Film
Género : Drama
Duração : 1 h 55 min
Estreia em França: 26/09/2012
Ano de produção: 2011
Distribuidor em Portugal: Midas

Realizador
Alain Resnais faz os seus primeiros passos como realizador com a curta metragem documentário Van Gogh em 1948 com a qual ganha um Oscar e uma recompensa na Bienal de Veneza. Em 1959, realiza o seu filme mais emblemático Hiroshima mon amour com Emmanuelle Riva. De seguida atira-se a vários géneros: a ficção científica (Je t’aime, je t’aime, 1968), o teatro (Mélo, 1986), a Banda desenhada (I want to go home, 1989). Alain Resnais recebeu múltiplas recompensas durante a sua carreira entre as quais dois “César” de melhor realizador (Providence em 1978 e Smoking/No Smoking en 1980), um grande prémio do Júri em Cannes (Mon oncle d’Amérique em 1980), três “César” do melhor filme (Prodivence, Smoking / No Smoking et On connaît la chanson em 1998) entre outros. Dirigiu nove vezes Pierre Ardi(ti (La Vie est un roman, L’Amour à mort, Pas sur la bouche…), oito vezes André Dussollier (On connaît la chanson, Mélo, Cœurs…), quatro vezes Lambert Wilson (Pas sur la bouche, Vous n’avez encore rien vu…) e dez vezes Sabine Azéma, a sua actriz « fétiche » com quem casou em 1998. Alain Resnais faleceu a 1 de Março de 2014 com 91 anos, antes da estreia, deste que acabou por ser o seu último filme Aimer, boire et chanter.

Sinopse
Antoine d’Anthac, célebre autor dramático, convoca, para depois da sua morte, todos os seus amigos artistas que interpretaram a sua peça « Eurydice ». Gravou, antes de morrer, uma declaração, na qual lhes pedia para visualizarem uma captação dos ensaios desta peça por um jovem grupo de actores, a companhia La Colombe. Será que o amor, a vida, o amor depois da morte, terão ainda lugar numa cena de teatro? Cabe-lhes a eles decidir. As surpresas serão mais que muitas…

Críticas
« De qualquer madeira Resnais faz fogo, da lama ele faz ouro » (Jean-Baptiste Morain, Les Inrockuptibles)
« Original do princípio ao fim, este filme intemporal com gosto a eternidade remexe os sentimentos humanos como a massa de moldar as almas. » (Alain Spira, Paris Match)
« O mestre Alain Resnais convida-nos a celebrar a vida, o espectáculo e a criação no seu último filme “Vous n’avez encore rien vu”. » (Florence Maillard, Transfuge)

Retrospectiva Alain Resnais na Cinemateca Portuguesa

A Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, apresenta também ao longo do mês de Outubro uma homenagem ao cineasta francês Alain Resnais:

HIROSHIMA MON AMOUR
L’ANNÉE DERNIÈRE À MARIENBAD
MURIEL OU LE TEMPS D’UN RETOUR
GUERNICA (CURTA-METRAGEM)
LES STATUES MEURENT AUSSI (CURTA-METRAGEM)
NUIT ET BROUILLARD (CURTA-METRAGEM)
STAVISKY
PROVIDENCE
MON ONCLE D’AMERIQUE
MELO
I WANT TO GO HOME
COEURS
ON CONNAIT LA CHANSON
SMOKING
NO SMOKING
LES HERBES FOLLES

Ver o programa completo