DIAMANT NOIR

de Arthur Harari | 2015 | drama | 1h55

Com: Niels Schneider, August Diehl, Hans Peter Cloos
Argumento: Arthur Harari, Vincent Poymiro, Agnès Feuvre
Origem: França, Bélgica
Produção: Philippe Martin, David Thion
Vendas Internacionais: Films Distribution
Estreia em França: 08/06/2016
Festivais 2016: Rendez-vous du Cinéma Français à Paris; Rendez-vous With French Cinéma à New York

Pier Ulmann vive em Paris, entre esquinas e roubos que ele comete para Rachid, a sua única “família”. Tudo muda quando, um dia, encontra o seu pai morto na rua. Vindo de uma família riquíssima de fazedores de diamantes, apercebe-se que não herdará nada, a não ser a história do seu abandono e a sede de vingança. Convidado pelo seu primo Gabi, parte para Anvers para remodelar os escritórios da prestigiada firma Ulmann. A directiva de Rachid é simples: “Vais lá para ver, e para roubar”. Mas um diamante tem várias faces…

O Realizador
Nascido em Paris, 1981. Realizou várias curtas e médias-metragens incluindo La Main sur la Gueule, em 2007, que recebeu vários prémios, entre os quais o Grande Prémio no Brive Festival para Melhor Filme. Recentemente, Peine Perdue recebeu o Grande Prémio no Festival Belfort Entrevues, em 2013. Aparece, esporadicamente, como actor (A Batalha de Solferino, de Justine Triet). Diamant Noir é a sua primeira longa-metragem.

Crítica
É um filme de um movimento prolífico, capaz de passar de um género a outro (…), de complexificar as suas figuras, de multiplicar os ecos, (…) de uma maneira ambígua e crua.
Florence Maillard, Cahiers du Cinéma

LISBOA, SÁBADO 15 OUT 19h30 Cinema São Jorge – Sala Manoel de Oliveira