A Cinemateca Portuguesa, que colabora com este evento desde a sua primeira edição, acolhe este ano uma autêntica homenagem ao cinema francês, desde os seus primórdios. Partimos do recente filme de Bertrand Tavernier, Uma Viagem pelo Cinema Francês com Bertrand Tavernier, no qual, ao longo de mais de três horas, o realizador e ex-crítico passa em revista a sua relação com o cinema francês e as principais etapas da produção francesa. Escolhemos, entre os muitos filmes evocados por Bertrand Tavernier, alguns grandes clássicos, de Jacques Becker e Jean Renoir, mas sobretudo um certo número de filmes pouco vistos ou pouco considerados, que valorizam vedetas “de primeira” ou “de segunda” (Jean Gabin ou Eddie Constantine), um filme obscuro do prolífico Julien Duvivier, obras de Claude Chabrol, Jean-Pierre Melville ou Claude Sautet, com quem Tavernier se pode identificar; além de um filme de Jean Delannoy, um dos cineastas demolidos nos anos 50 pelos futuros cineastas da Nouvelle Vague, grupo do qual Tavernier nunca foi próximo. Também incluímos um filme que reproduz a primeira sessão do Cinematógrafo Lumière, em 28 de Dezembro de 1895. A Cinemateca incluiu o próprio Tavernier entre os homenageados, com um dos melhores momentos neo-clássicos do seu cinema, La Fille de d’Artagnan.
Além da estreia portuguesa de Uma Viagem pelo Cinema Francês com Bertrand Tavernier, cinco dos filmes programados são apresentados pela primeira vez na Cinemateca.

*Em colaboração com a Cinemateca Portuguesa e com a Midas Filmes


BERTRAND TAVERNIER
Nascido a 25 de Abril de 1941, é um cineasta, argumentista e produtor francês, filho do escritor René Tavernier. Em 1961 começa a trabalhar com Georges de Beauregard, produtor da Nouvelle Vague, graças a quem viria a realizar as suas primeiras curtas-metragens. Nos anos 70, filma na sua cidade natal, Lyon, a sua primeira longa-metragem, L’Horloger de Saint-Paul (1973), uma adaptação da obra de Simenon, com o qual ganha o Prémio Louis-Delluc e o Urso de Prata no Festival de Berlim. Ecléctico desde o início da sua carreira, realiza tanto filmes de época como obras contemporâneas, mostrando sempre uma predilecção pelo tema da sociedade. Em 2016, apresenta no Festival de Cannes, Uma Viagem pelo Cinema Francês com Bertrand Tavernier, um périplo pelo cinema francês que mais marcou o seu percurso cinematográfico.


FILMES DA SECÇÃO UMA VIAGEM PELO CINEMA FRANCÊS…

thumb_4720_film_poster_big