Jean-Paul Rapenneau nas filmagens de Belles Familles

Jean-Paul Rappeneau estreia-se no cinema primeiro como assistente e depois como argumentista, tendo colaborado com Louis Malle em Zazie dans le Metro (1960) ou Vie Privée (1961), e com Phillipe de Broca em L’Homme de Rio (1964). Depois de escrever para outros, Jean-Paul Rappeneau dedica-se à realização do seu primeiro filme, La Vie de Château, com o qual arrecada o prémio Louis-Delluc, em 1966. Apesar do grande sucesso de público e critica, o realizador regressaria apenas em 1971, com Les Marie de l’An II, interpretado por Jean-Paul Belmondo e Marlène Jobert.
Segue-se Le Sauvage (1975) e Tout Feu Tout Flamme (1981), ambos protagonizados por Yves Montant. Perfeccionista, Rappeneau demoraria longos períodos a preparar os seus projectos, o que justifica os momentos de ausência durante a sua carreira.
Depois de um interregno de 9 anos, o seu maior sucesso chegaria em 1990, com Cyrano de Bergerac, adaptação da peça de Edmond Rostand. Com a magnífica e inesquecível interpretação de Gérard Depardieu, o filme viria a ser reconhecido como um dos grandes clássicos do cinema francês. Desde então realizou Le Hussard sur le Toit (1995), Bon Voyage (2003) e Belles Familles (2015).
Jean-Paul Rappeneau vem a Portugal apadrinhar esta 19ª edição da Festa do Cinema Francês e apresentar Cyrano de Bergerac em versão digital restaurada.


Filmes da Secção O PADRINHO

LA VIE DE CHÂTEAU com Philippe Noiret, Catherine Deneuve, Pierre Brasseur

LE SAUVAGE com Catherine Deneuve, Yves Montand

BON VOYAGE  com Gérard Depardieu, Isabelle Adjani, Virginie Ledoyen, Yvan Attal

BELLES FAMILLES com Gilles Lellouche, Karin Viard, Mathieu Amalric