Hugo Gélin

Proveniente de uma família de gente do cinema e das artes em geral (o pai era produtor, os avós actores, o bisavô pintor e membro da Resistência), Hugo Gélin começou pela publicidade, a meio dos anos 2000. Em 2012 escreveu, produziu e realizou a sua primeira longa-metragem, Comme des frères, que foi logo nomeada para dois Césares. No ano seguinte foi co-autor do argumento de La cage dorée (o bem-sucedido filme luso-francês A gaiola dourada, de Rúben Alves, que contou com a interpretação de Rita Blanco e Joaquim de Almeida, entre outros).

A sua segunda longa-metragem, Demain tout commence, surge em 2016 e consegue mais de 3 000 000 de espectadores em França, o segundo maior sucesso comercial do ano, além de ter recebido o prémio Unifrance de Filme Francês do Ano. 

Mon inconnue valeu ao actor principal, François Civil, o Prémio de Interpretação Masculina no Festival de Alpe d’Huez e recebeu o Prémio de Melhor Filme do Ano no Festival de Cinema de Cabourg.