MA NUIT CHEZ MAUD

O terceiro dos contos morais de Rohmer é também o mais abstrato e austero. O filme passa-se em Clermont-Ferrand, terra natal do filósofo e matemático setecentista Blaise Pascal, cuja famosa teoria da “aposta” (de que Deus existe) é discutida no filme. No centro do debate está o engenheiro de 34 anos Jean-Louis – tal como o actor, Jean-Louis Trintignant. No sentido da loucura ou da santidade, o protagonista procura aplicar o catolicismo, qual receita de vida, às “apostas” românticas e sexuais.

LISBOA
Qui, 10 OUT, 15h30
Cinemateca Portuguesa

1969 / 1h50 / França
Com
Jean-Louis Trintignant, Françoise Fabian, Marie-Christine Barrault, Antoine Vitez